Venezuelanos e migrantes de países vizinhos capacitados em empreendedorismo apresentam seus negócios durante Demoday em Florianópolis

Florianópolis - O Demoday da Salto Aceleradora, iniciativa voltada a impulsionar negócios de microempreendedores, reuniu dez novos negócios em um dia de apresentações para banca de jurados especializados. Realizado em setembro, o evento contemplou três dos projetos com premiação dos parceiros Banco Empreendedor e Compufour Zuchetti. Todos os participantes são venezuelanos ou migrantes de países vizinhos apoiados pela Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Os dez beneficiários são alunos da turma iniciada em maio que capacitou 65 pessoas, em sua maioria mulheres, por meio da parceria entre a OIM e a Impact Hub Floripa. O curso de empreendedorismo possuía seis módulos, sendo eles autodesenvolvimento, modelo de negócios, mercado, finanças, marketing e pitch, inspirados na Metodologia Salto da Impact Hub a partir da necessidade dos venezuelanos e demais migrantes.

Além de gerar conhecimento e educação em empreendedorismo, o programa também cria uma rede com conexões e visibilidade para os beneficiários. Os resultados são o aumento da clientela com impacto no faturamento, ampliando a motivação para seguir os negócios.

“A metodologia Salto nasceu para democratizar conteúdos de ponta do mundo dos negócios para microempreendedores individuais. Ter a certeza de que estamos conseguindo resultados e impacto com o programa é muito gratificante. Tudo isso pode ser visto no Demoday”, declara a gerente de programas do Impact Hub Floripa Arianne Kern.

Durante o curso, foram ainda oferecidas mentorias online individuais para cada participante e uma vez por semana acontecia o ‘laboratório de troca’, com encontros ao vivo e online, em que experiências, desafios e aprendizados eram intercambiados. Durante as atividades, os participantes podiam avaliar o laboratório e o facilitador, permitindo assim, melhorias no curso ao longo de sua execução.

“Experiências anteriores demonstram a importância de se oferecer um acompanhamento individualizado para que os beneficiários tenham condições reais de desenvolver seus negócios ao longo de cursos de empreendedorismo, pois muitas vezes desconhecem o mercado brasileiro ou os detalhes de gestão para a sustentabilidade de um negócio no Brasil”, declara a coordenadora de projetos da OIM em Santa Catarina Yssyssay Rodrigues.

Engenheira metalúrgica venezuelana, há sete anos no Brasil, Marlene foi uma das três pessoas contempladas com a premiação. Ao chegar no Brasil, trabalhou no ramo de limpeza, petshop e de restaurantes. Com sua experiência, criou o LimpaVene, uma empresa de limpeza doméstica e comercial, com intuito de apoiar venezuelanos e venezuelanas na sua inserção no mercado laboral brasileiro.

“Querer incluir venezuelanos no projeto esteve sempre em meu coração, pois desde que cheguei ao Brasil encontrei com muitos compatriotas e tive a oportunidade de ajudá-los a tirar seus documentos. Com este projeto, podemos chegar a mais pessoas e não só para dar um sustento para suas famílias, mas também um apoio para que sintam um abraço de uma pessoa que entende bem o processo de se adaptar a uma nova cultura, novo idioma e novo país”, relata Marlene.

   
 Marlene desenvolveu a LimpaVene, que oferece serviço de limpeza doméstica e comercial.

Os outros dois projetos premiados foram: Integral – Pães do Rei, de panificação; e Tequedelicias, que produz tequeños, um salgado típico venezuelano.

 

Essa iniciativa é realizada no marco do Projeto Oportunidades, implementado pela OIM com o apoio financeiro da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID).