Plataforma Migralab capacita e fomenta iniciativas de empreendedores venezuelanos e migrantes de países vizinhos ao Brasil

São Paulo - Ampliar a integração econômica de venezuelanos e migrantes de outros países vizinhos ao Brasil, este é o objetivo da MigraLab. Essa plataforma digital, que já está disponível, foi desenvolvida ao longo de 2020 pela Migraflix, organização que trabalha com o empoderamento socioeconômico de migrantes e refugiados no Brasil, e a Organização Internacional para as Migrações (OIM), no marco do projeto Oportunidades.

“A OIM está comprometida com a inserção econômica e autonomia da população migrante no Brasil e este projeto soma esforços neste sentido. Lançamos essa iniciativa pensando nos frutos que ela irá trazer para as vidas de centenas de pessoas”, informa a gestora sênior de programa da OIM, Michelle Barron.

Com acesso gratuito e ilimitado, a Migralab conecta beneficiários a canais de venda online, alavancando ideias nas áreas de gastronomia e oportunidades de intermediação laboral. Os inscritos também podem participar de treinamentos personalizados, mentorias individuais e capacitações. Tudo isso com o suporte da ONG Migraflix, que desde 2015 oferece serviços de catering, palestras e workshops culturais para empresas, feitos por migrantes.


Projeto Mi Arepa. Foto: Agenzia Riguardare

A meta da plataforma é promover um aumento de pelo menos 30% na renda mensal dos participantes, que hoje já somam mais de 800 inscritos de 5 cidades: São Paulo (SP), Campinas (SP), Rio de Janeiro (RJ), Porto Alegre (RS) e Brasília (DF).

Nesta primeira etapa do projeto, as iniciativas focaram no empreendedorismo gastronômico. Foi criada uma “Trilha de Aceleração de Negócios Gastronômicos”, comandada por tutores e especialistas, e a campanha Mi Arepa - iguaria típica da Venezuela - que visa fomentar o empreendedorismo e disseminar o legado da gastronomia venezuelana na cultura brasileira.

Para a primeira fase em São Paulo, foram convidados cerca de 40 empreendedores a participar de uma aceleração de negócios gastronômicos e, depois de capacitados, a ensinar a receita da arepa a chefs de renomados restaurantes. Agora, já em fase de replicação, a ação chegou ao Rio de Janeiro, Porto Alegre e Brasília.

Cada restaurante recebeu dois cozinheiros empreendedores venezuelanos para trocar experiências, culturas e criar sabores. As arepas criadas estão sendo incorporadas nos cardápios dos restaurantes por tempo limitado e 50% da receita gerada pelas vendas está sendo revertida para os venezuelanos envolvidos na ação. “As vendas estão sendo um sucesso”, celebra o fundador e diretor-executivo da Migraflix, Jonathan Berezovsky.


Projeto Mi Arepa. Foto: Husam Adin

De acordo com estimativas oficiais, 265 mil venezuelanos vivem atualmente em todo o Brasil e enfrentam desafios para sua inclusão social e econômica. A pandemia de COVID-19 tornou essa situação ainda mais complexa, levando o projeto Migralab – criado como um programa de capacitação profissional e geração de renda para venezuelanos em Boa Vista (RR) – a se reinventar.

“Adaptar o Migralab para o formato digital devido à pandemia foi uma missão desafiadora. Felizmente, por meio dessa reinvenção, conseguimos alcançar ainda mais pessoas e gerar oportunidades de capital semente para empreendedores investirem em seus negócios – já temos indicadores concretos de que estão aumentando sua renda progressivamente. Como próximos passos, pretendemos ampliar as funcionalidades da plataforma e parcerias para que os empreendedores acessem novos canais de venda para seus produtos e serviços”, explica a vice-diretora da Migraflix, Camila Batista.

A plataforma Migralab é realizada no marco do projeto Oportunidades, implementado pela OIM com apoio financeiro da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID).

Conheça a plataforma: www.migralab.com