Plataforma MigraCidades e Governo do Canadá realizam capacitação sobre coesão social e migrações

Evento promoveu troca de experiências entre Canadá e governos locais brasileiros

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) e o Programa de Migração do Consulado Geral do Canadá em São Paulo promoveram nesta terça-feira (9) a capacitação online “Coesão social e migrações: construindo comunidades onde todos se sintam em casa”. Realizado pela Plataforma MigraCidades, iniciativa da OIM com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, o evento teve como público-alvo governos locais engajados no processo de certificação da plataforma e contou com 72 participantes.

O Oficial de Migração do Consulado Geral do Canadá em São Paulo, Vinicius Cabral, enfatizou a perspectiva do Canadá sobre a migração internacional: “O Governo do Canadá realmente acredita nos benefícios da migração, tanto para os próprios migrantes e refugiados como especialmente para as comunidades de acolhida. Diferentes estudos mostram que a imigração impacta positivamente as comunidades locais, incluindo cultural, científica e economicamente”.

Os representantes do órgão de Imigração, Refugiados e Cidadania do Canadá (Immigration, Refugees and Citizenship Canada - IRCC), Camille Papanek e Sarosh Sarkari, abriram o evento. A Diretora Adjunta de Governança e Engajamento do Setor de Integração e Assentamento discorreu sobre o conceito de coesão social, a abordagem do Canadá para o tema e os impactos da COVID-19. "A coesão e a inclusão social estão incorporadas nas principais linhas do mandato da Immigration, Refugees and Citizenship Canada (IRCC), uma vez que é realizado um esforço para apoiar a diversidade e remover barreiras para uma integração bem sucedida de todos os imigrantes, minorias raciais e étnicas, na sociedade canadense", disse Papanek.

O assessor de Comunicação do IRCC apresentou a campanha “Imigração Importa” (Immigration Matters), que tem como objetivo promover a coesão social dando ênfase em como os migrantes contribuem para o desenvolvimento do Canadá. Sarosh destaca que "ao compartilhar histórias de pessoas migrantes, a campanha buscou conectar o público e mostrar como a migração pode beneficiar os canadenses. Além disso, consideramos importantes trazer dados como parte dessas histórias, de forma a alcançar não só o emocional como o racional da população."

A campanha “É preciso uma comunidade” (It takes a community), uma parceria entre o Grupo de Trabalho sobre Narrativas do Fórum Global sobre Migração e Desenvolvimento (GFMD) e a OIM, também foi apresentada pelo coordenador de Campanhas Globais de Comunicação Digital da OIM, Marshall Patsanza. "A campanha busca compartilhar histórias sobre o impacto positivo de migrantes nas comunidades. Nesse sentido, buscou-se centralizar diferentes iniciativas, feitas por inúmeros atores, em uma única plataforma com uma hashtag em comum (#ittakesacommunity)", explica Patsanza. Utilizando apenas interação orgânica, sem anúncios pagos, as mensagens positivas atingiram cerca de 6.4 milhões de impressões nas redes sociais.

Fechando o evento, a fundadora da consultoria intercultural Differänce, Mariana de Oliveira Barros, falou sobre ações de coesão cultural no Brasil através da abordagem da interculturalidade. Oliveira pontuou que, para adotar uma abordagem intercultural, é preciso primeiro entender a cultura na qual nós mesmos estamos imersos. Portanto, "é essencial conhecer mais sobre os padrões sociais brasileiros e aqueles das outras culturas com as quais trabalhamos no acolhimento e atendimento de pessoas migrantes e refugiadas. Isso significa dar um passo atrás e pensar quais conflitos interpessoais podem estar sendo causados por questões culturais", reforçou Oliveira.

Ao final, os participantes puderam tirar suas dúvidas e enviar perguntas aos panelistas.

Plataforma MigraCidades e coesão social

A Plataforma Migracidades – Aprimorando a Governança Migratória Local no Brasil busca auxiliar os governos locais na construção e gestão de políticas migratórias de forma qualificada e planejada, ao encontro da Meta 10.7 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

O processo desenvolvido pela Plataforma certifica o engajamento dos governos em aprimorar a governança migratória e busca dar visibilidade às boas práticas identificadas nos estados e municípios brasileiros ao longo do processo de certificação. Em 2020, 27 governos locais de todas as regiões do país receberam o selo MigraCidades 2020. Em 2021, 46 governos – 36 municípios e 10 estados – participam do processo de certificação em busca do selo MigraCidades.

As pessoas migrantes são peças-chave para o desenvolvimento sustentável de comunidades coesas, baseadas na diversidade, tolerância e respeito pelas diferenças. A coesão social depende da integração e inclusão das pessoas migrantes nas sociedades de acolhida, de modo que elas possam desenvolver plenamente seu potencial e contribuir para o desenvolvimento, e isso passa por esforços locais para promover ações que promovam o acesso qualificado de migrantes a direitos, como a saúde, a educação, a assistência social, dentre outros.