Plano de Ação da OIM pede por US$ 150 milhões para apoiar o Afeganistão e países na região

Genebra – A Organização Internacional para as Migrações (OIM) está pedindo US$ 158,9 milhões para responder às necessidades humanitárias urgentes de milhões de pessoas afegãs e para apoiar a recuperação e a resiliência do país e da região. 

“A crise que se desdobra no Afeganistão está intensificando necessidades humanitárias e aumentando riscos de deslocamento tanto dentro do país quanto nas fronteiras com países na região,” afirma o Diretor-Geral da OIM, António Vitorino.  

“A população afegã, já muito sobrecarregada por décadas de conflitos, pela pandemia da COVID-19, pela subsequente crise econômica e pela seca severa, necessita urgentemente de apoio”. 

O Plano de Ação Abrangente da OIM para o Afeganistão e Países Vizinhos visa ajudar as populações mais vulneráveis ao combinar intervenções humanitárias, de desenvolvimento e de paz, conhecidas como nexo HDP (na sigla em inglês).  

Ao passo que os movimentos atuais da população pelas fronteiras permanecem moderado, não se pode descartar o risco de um colapso econômico e da conseguinte deterioração da situação socioeconômica e de segurança no Afeganistão, o que pode causar mais pessoas a saírem dos países na região, como a República Islâmica do Irã, o Cazaquistão, Paquistão, Tajiquistão, Turcomenistão e Uzbequistão.  

Estima-se que agora há 5,5 milhões de deslocados internos no Afeganistão, incluindo aqueles em vivem assim de forma prolongada, e 664 mil novas pessoas deslocadas pelo conflito em 2021. Soma-se isso aos mais de 924.744 retornados afegãos sem documentação, que retornaram do Irã e do Paquistão entre 1º de janeiro e final de setembro, e ao mais de 2,2 milhões de refugiados e 3,4 milhões de nacionais afegãos sem documentação que já estão em países vizinhos, principalmente no Irã e no Paquistão.  

A OIM atualmente é o maior fornecedor de abrigo emergencial e de itens não-alimentares no Afeganistão, prestando socorro a mais de 34 mil pessoas recentemente deslocadas pelo conflito e pelos desastres naturais entre 15 de agosto a 30 de setembro.  

As equipes de saúde alcançaram 11.347 pessoas durante o mesmo período de seis semanas com assistência médica direta, incluindo 9.170 atendimentos a pacientes ambulatoriais, 1.357 consultas sobre saúde reprodutiva, mais de 820 sessões de atendimento psicossocial, além de testagem para COVID-19 de 394,600 viajantes.  

A Organização assistiu 9.237 migrantes vulneráveis sem documentação perto ou nas travessias das fronteiras e avaliou os casos de 1.360 retornados para questões de proteção. Assistência multissetorial pós-desembarque foi oferecida a 630 pessoas com necessidades específicas, e quase 20 mil pessoas foram beneficiadas pela iniciativa de redução de riscos de desastres, bem como pelas iniciativas de recuperação, reintegração e resiliência desde o início da crise.  

Em 1º de setembro, as equipes da Matriz de Monitoramento de Deslocamento (DTM, na sigla em inglês) ativaram a ferramenta de Rastreamento de Evento Emergencial (EET, na sigla em inglês) no Afeganistão para monitorar o deslocamento de indivíduos, bem como seu nível de acesso a serviços e assistência após episódios de seca e rápidas mudanças políticas. Essa avaliação cobre todas as 34 províncias, os 359 distritos e os 8.633 vilarejos.  

Enquanto os governos em outros países preparam as respostas à crise afegã, o Plano de Ação Abrangente da OIM é necessário para ajudar a garantir que o impacto regional da crise seja mitigado, que as necessidades humanitárias e de proteção dos afegãos sejam supridas, e que a resiliência das comunidades dentro e fora do Afeganistão sejam fortalecidas para o desenvolvimento sustentável inclusivo e de longo-prazo.  

A OIM irá trabalhar em conjunto com outras agências da ONU, governos, sociedade civil e parceiros para coordenar a implementação do plano.  

A Plataforma da OIM de Resposta Global a Crises oferece um panorama dos planos da OIM e dos requisitos de financiamento para responder às necessidades e aspirações emergentes das pessoas impactadas ou sob risco de crise e deslocamento em 2021 e adiante. A Plataforma é atualizada regularmente a medida em que a crise avança e novas situações surjam.  

Para mais informações, entre em contato: 

Em Genebra: Paul Dillon, Editor Executivo e Porta-voz, E-mail: pdillon@iom.int, Tel: + 41 79 636 9874 

Em Cabul: Safa Msehli, Porta-voz da OIM, E-mail: smsehli@iom.int