Organizações parceiras do ACNUR e da OIM pedem apoio urgente a refugiados e migrantes da Venezuela e seus países de acolhida

Genebra, 15 de junho – Às vésperas de uma conferência internacional de doadores nesta quinta-feira, 17 de junho, o ACNUR (Agência da ONU para Refugiados) e a OIM (Organização Internacional para as Migrações) fazem um apelo renovado de apoio internacional para lidar com as necessidades urgentes de pessoas refugiadas e migrantes da Venezuela, e para assistir os países de acolhida.

“O êxodo de venezuelanos se prolonga e corre o risco de se tornar uma crise esquecida”, afirma o Enviado Especial do ACNUR e da OIM para a Refugiados e Migrantes da Venezuela, Eduardo Stein. “A pandemia da COVID-19 continua a devastar a região, e o futuro de milhões de pessoas refugiadas e migrantes e das comunidades que as acolhem está em jogo. Solidariedade e compromisso são necessários mais do que nunca para assegurar a contínua entrega de assistência”, completou Stein.

Lockdowns prologados, perdas de meios de vida e pobreza crescente estão forçando muitos refugiados e migrantes venezuelanos a depender de assistência humanitária emergencial para sobreviver. Suas necessidades são terríveis, em áreas como saúde, segurança alimentar, água e saneamento básico, como também no acesso à educação e a atividades de geração de renda. A pandemia também resultou no aumento de despejos e pessoas vivem nas ruas, assim como um crescimento dramático dos casos de violência de gênero e necessidades em saúde mental.

A saída de refugiados e migrantes da Venezuela é uma das maiores crises de deslocamento do mundo. Atualmente, mais de 5,6 milhões de venezuelanos deixaram o país. Neste contento, o Plano Regional de Resposta a Refugiados e Migrantes (RMRP, da sigla em inglês) para 2021 reúne 159 organizações para responder às necessidades urgentes e estabelecer soluções de resiliência e integração de longo prazo, focando em cerca de 3,3 milhões de venezuelanos e as comunidades que os acolhem. O plano de US$ 1,44 bilhão permanece criticamente subfinanciado.

Países na América Latina e no Caribe, que abrigam 4 em cada 5 dos refugiados e migrantes da Venezuela, têm continuado a demonstrar sua solidariedade durante a emergência global de saúde, notadamente por meio do estabelecimento de grandes programas de regularização. Entretanto, as capacidades nacionais têm sido perigosamente levadas ao limite pela pandemia.

“O fardo não deve cair apenas sobre os países da região. A comunidade internacional tem a responsabilidade de apoiar estes esforços, contribuindo para a estabilidade regional”, diz Stein. “O financiamento insuficiente desta resposta deixará centenas de milhares de pessoas desprotegidas, com poucas opções para reconstruir suas vidas com dignidade”, afirma o Enviado Especial.

O Canadá promoverá a próxima Conferência de Doadores em Solidariedade aos Refugiados e Migrantes Venezuelanos no próximo dia 17 de junho, em colaboração com o ACNUR e a OIM, que lideram a Plataforma Interagencial de Coordenação para Refugiados e Migrantes da Venezuela (R4V). O evento reunirá países de acolhida, países doadores e atores-chave desta resposta, incluindo o setor privado, bancos de desenvolvimento e sociedade civil.

A Conferência Internacional de Doadores está marcada para acontecer das 10hs às 13h30 desta 5ª feira (17 de junho). O evento será transmitido online por este link.

Nota aos editores e editoras:

  • Profissionais de mídia que queiram participar da coletiva de imprensa deverão se registrar antecipadamente neste link
  • Outras informações sobre a Plataforma R4V e o plano de resposta para 2021 estão disponíveis em https://www.r4v.info/pt/brazil
  • No ano passado, o plano RMRP solicitou US$ 1,14 bilhão para atender as necessidades de refugiados e migrantes da Venezuela – e as comunidades que os acolhem – em 17 países da América Latina e do Caribe. Ao final de 2020, apenas 47,1% do plano foi financiado.
  • Os compromissos feitos por doadores durante a Conferência Internacional de Solidariedade com Refugiados e Migrantes da Venezuela na América Latina e no Caribe, em 2020, foi convocada pela União Europeia e pela Espanha, chegaram a USD 2,79 bilhões – incluindo US$ 653 milhões em doações.

Para mais informações, por favor entre em contato com:   

No Panamá:

No Canadá: 

Em Genebra: