OIM e Acnur celebram o compromisso da comunidade internacional na mobilização de fundos para pessoas refugiadas e migrantes da Venezuela

Ottawa, 17 de junho – A Organização Internacional para as Migrações (OIM) e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) deram boas-vindas aos compromissos feitos hoje, totalizando US$ 1,5 bilhão (sendo US$ 954 milhões em doações), durante a Conferência Internacional de Doadores em Solidariedade com Refugiados e Migrantes da Venezuela.

A conferência virtual, convocada pelo Governo do Canadá, em colaboração com o ACNUR e a OIM (que co-lideram a Plataforma Interagencial de Coordenação para Refugiados e Migrantes da Venezuela R4V), contribuiu para aumentar a conscientização sobre a crise e arrecadou fundos para os 17 países da América Latina e do Caribe que hoje acolhem cerca de 4,6 milhões de venezuelanos que deixaram seu país.

“Estamos em um momento crítico”, disse o Alto Comissário da ONU para Refugiados, Filippo Grandi, ao falar para os participantes da conferência.

A pandemia da COVID-19 tem atingido a América Latina e o Caribe com uma ferocidade particular, no momento em que a região responde ao segundo maior deslocamento de pessoas fora de seu país em todo o mundo. Dos 5,6 milhões de refugiados e venezuelanos em todo o mundo, mais de 80% permanecem na região.

“A responsabilidade de proteger e assistir as pessoas refugiadas e migrantes da Venezuela e as comunidades que as acolhem não pode ficar apenas com os países da região. Ela precisa ser compartilhada com uma comunidade internacional mais ampla”, disse Grandi.
O apoio financeiro adicional comprometido hoje permitirá aos países e organizações humanitárias continuarem provendo assistência emergencial e ajuda para salvar as vidas dos venezuelanos mais necessitados e das comunidades que os acolhem, e a buscar soluções de longo prazo.

“Financiar tanto a resposta humanitária às pessoas em necessidade como também o apoio à integração socioeconômica deve permanecer como uma prioridade”, disse o Diretor Geral da OIM, António Vitorino.

“Refugiados e migrantes contribuem muito à vida econômica, social e cultural das comunidades de acolhida. Nós encorajamos qualquer esforço que permita a eles oportunidades para progredir”, disse Vitorino.
 
Enfrentando o maior êxodo populacional da história recente da América Latina e, ao mesmo tempo, os efeitos socioeconômicos adversos da COVID-19, os países da região têm demonstrado uma contínua boa vontade para responder a esta crise, inclusive por meio da regularização e do acesso a serviços sociais e de saúde. Neste contexto, a participação ativa e o forte apoio dos bancos de desenvolvimento na Conferência são particularmente bem-vindos.

A conferência de hoje segue o compromisso feito durante a conferência do ano passado, convocada pela União Europeia e Espanha para também mobilizar fundos para refugiados e migrantes da Venezuela, assim como as comunidades e os países de acolhida.

As necessidades de financiamento do Plano Regional de Resposta a Refugiados e Migrantes da Venezuela (RMRP, da sigla em inglês) em 2021 chegam a US$ 1,44 bilhão, em atividades de assistência humanitária, proteção e soluções e com a participação de 159 entidades parceiras. Estas ações são voltadas aos refugiados, migrantes e comunidades em maior necessidade.

Mais informação sobre a Conferência Internacional em Solidariedade a Refugiados e Migrantes da Venezuela na América Latina e no Caribe podem ser encontradas aqui.