OIM apoia a realização do primeiro processo de interiorização por vaga de emprego de Manaus para Santa Catarina

Manaus – Por meio da estratégia de interiorização do Governo Federal, a Organização Internacional para as Migrações (OIM), em parceria com a ONG Hermanitos, apoiou a realização do primeiro processo de interiorização por Vaga de Emprego Sinalizada (VES) de Manaus. A ação busca garantir a inserção socioeconômica de sete refugiados e migrantes venezuelanos no município de Agrolândia, em Santa Catarina, onde irão trabalhar em uma fábrica de produtos têxtil. O grupo viajou na madrugada do dia 17, com o suporte das organizações.

Estabelecida para aliviar as estruturas públicas do estado de Roraima e da Região Norte, especialmente nas áreas de saúde, assistência social e educação, a estratégia de interiorização leva voluntariamente, de Boa Vista (RR) e de Manaus (AM) os venezuelanos que desejam permanecer no país para outras partes do Brasil. O intuito é de permitir um recomeço e ampliar as possibilidades de integração socioeconômicas dessas pessoas. Com as diferentes modalidades oferecidas, é possível a reunificação com familiares e amigos, aceitar uma vaga de emprego em outra cidade ou a moradia em abrigos.

“A Operação Acolhida tem o seu foco na interiorização e na reestruturação das famílias venezuelanas. À medida que fazemos o contato com empresas, buscamos destacar que há muitos venezuelanos com habilidades e qualificações excelentes para o mercado de trabalho”, destaca o coordenador da Base da Operação Acolhida em Manaus, Coronel da Costa.

“Através da inserção socioeconômica, a renda familiar acaba sendo o caminho para a reconstrução dessas vidas no Brasil. Por isso, essa modalidade tem que ser incentivada, para que ela se fortaleça e atinja o maior número de beneficiários possível”, complementa.

Sendo um caso pioneiro dentro da modalidade VES na capital amazonense, foi realizado uma solicitação especial ao Subcomitê Federal de Interiorização, coordenado pelo Ministério da Cidadania, responsável pelo processo de aprovação da transferência dos venezuelanos para outros estados brasileiros. Em Manaus, atualmente o processo de interiorização ocorre regularmente em duas categorias: reunificação familiar e reunião social.

"Com o processo aprovado pelo Subcomitê Federal de Interiorização, cumprimos com todos os requisitos que buscam garantir o deslocamento voluntário, informado, seguro e digno. Acreditamos que com a inclusão da modalidade de interiorização por vaga de emprego se fortalecem as possibilidades de integração na cidade de destino, sendo a inserção laboral uma das principais preocupações dos refugiados e migrantes", explica a assistente de projetos da OIM Giovanna Kanas.

O processo de contratação dos beneficiários contou com o apoio da ONG Hermanitos, que intermediou o contato com a empresa. Durante o processo, a organização recebeu as ofertas de emprego e, com os candidatos previamente selecionados, facilitou a participação na entrevista online, com computadores na sede da organização. Em seguida, os aprovados foram acompanhados e encaminhados para os exames admissionais.

“Eu acho importantíssimo termos esse primeiro processo por vaga de emprego, porque esse caso serve de modelo para que outras empresas também manifestem interesse em colaborar com a gente, ofertando novas vagas, dando seguimento nessa modalidade de interiorização. Esperamos que esse seja só o primeiro de muitos outros casos”, comenta a coordenadora do Hermanitos, Janaína Paiva.

"Tomei a decisão de vir ao Brasil, devido a situação no meu país. Chegando aqui, há dois anos, a dificuldade com o idioma me assustava, mas encontrei boas pessoas que me ajudaram. Com o tempo fui aprendendo sobre o país, fiz cursos e corri atrás de melhores oportunidades. Com o apoio do Hermanitos e da OIM, eu consegui e vou poder trabalhar por esse futuro", diz o venezuelano Douglas, de 54 anos, que assim como os demais beneficiários embarcou em voo comercial com passagens fornecidas pela OIM.

A empresa contratante garante a estadia do grupo por cinco meses, custeando o aluguel para moradia. Além disso, o Hermanitos, por meio do Programa Integrando Horizontes, seguirá acompanhando os beneficiários por três meses, para registrar e avaliar o processo de evolução na atividade laboral em que foram inseridos.

"Aqui tive o apoio das organizações e, graças a Deus, tudo ocorreu rápido e fluído. Estou indo viajar sozinho, mas com o meu emprego, espero poder trazer e reencontrar minha família em breve", comentou o venezuelano Luis, de 55 anos.

As atividades da OIM na Estratégia de Interiorização são realizadas com o apoio financeiro do Escritório de População, Refugiados e Migração (PRM) do Departamento de Estado dos Estados Unidos.