Município de Pacaraima recebe doação de equipamentos médicos da OIM

Mais de 144 mil usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) de Pacaraima poderão beneficiar dos equipamentos médicos doados pela Organização Internacional para as Migrações (OIM), agência da ONU para as migrações, à prefeitura do município em fevereiro (6).

 

Estetoscópios de alta precisão cardiológica e respiratória, monitores digitais para aferição arterial e nebulizadores portáteis de malha fina para a atenção primária de saúde estão na lista de aparelhos entregues à Secretária de Saúde.

 

“O município de Pacaraima não tem medido esforços para garantir acesso à saúde a todos durante a crise migratória, apesar das dificuldades. Agradecemos à OIM pela dedicação e companheirismo para com a população de Pacaraima”, destaca a secretária de Saúde, Amanda Fernandes Torquato Guimarães.

 

Desde o segundo semestre de 2019, a OIM implementa ações na área de saúde em Roraima com o financiamento do governo do Japão. O intuito é garantir assistência humanitária nas áreas de atenção primária à saúde e suporte emergencial a venezuelanos e população do estado. As atividades são realizadas em consonância com o Sistema Único de Saúde e governos federal, estadual e municipais.

 

‘’As ações de saúde para venezuelanos e brasileiros garantem o apoio da OIM à população de Pacaraima, fortalecendo a atenção primária em saúde do município que atende a todos’’, informa o coordenador de Saúde da OIM, Mateus Falcão.

 

Além da doação de equipamentos, pelo projeto Colaboração do Povo Japonês, a OIM também apoia a Operação Acolhida, resposta humanitária do Governo Federal que conta com o suporte das agências da ONU e sociedade civil. Desde dezembro, sete técnicos de enfermagem atuam nos Postos de Interiorização e Triagem (PiTRIG), em Boa Vista e Pacaraima. Ações e material informativo de prevenção contra doenças como o câncer de mama e de próstata e para campanha de vacinação contra a febre amarela também já foram realizadas.

 

Para as próximas semanas, os migrantes e a população do estado também poderão contar com duas unidades móveis de saúde. Equipadas para atendimento ambulatorial, os médicos poderão realizar no local consultas e procedimentos da atenção básica, de modo a apoiar e reforçar a rede de saúde.