Jornada Empreendedora 2021 capacita refugiadas e migrantes para o empreendedorismo digital

A Organização Internacional para as Migrações (OIM), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais (Sebrae Minas) e o Coletivo de Mulheres Migrantes Cio da Terra promoveram a Jornada Empreendedora 2021, uma série de palestras e oficinas online e gratuitas. O objetivo é apoiar mulheres refugiadas e migrantes no acesso a oportunidades de trabalho, renda e cidadania no Brasil. Realizada em junho, a ação capacitou 67 beneficiárias.

A iniciativa reuniu mulheres da Venezuela, Bolívia Peru, Síria e Haiti. As participantes puderam aprofundar-se durante oito encontros sobre marketing digital, fotografia de produtos, ferramentas digitais e outros temas para impulsionar vendas e gerar renda por meio do empreendedorismo.

A Jornada surgiu a partir de um levantamento feito pelo Cio da Terra, que revelou que grande parte das beneficiárias do coletivo são microempreendedoras e têm como principal fonte de renda a produção de alimentos, artesanato e vestuário. O questionário também delimitou os interesses de aprendizagem das mulheres e auxiliou na escolha dos temas trabalhados pelo Sebrae Minas e a OIM.

“Sabemos que não foi fácil chegar a cada uma delas, mas o resultado disso foi favorecer o acesso à educação e a um trabalho digno, que são direitos inalienáveis.”, afirmou a coordenadora do Cio da Terra, Luciana Lorenzi.

A venezuelana Norbelys, empreendedora do ramo de laços e dona da loja Princesa Ana Lorena Laços, foi uma das participantes e diz já estar aplicando os conteúdos aprendidos no dia a dia. “Eu já iniciei algumas mudanças, aplicando os conhecimentos aprendidos. Agora sei utilizar o WhatsApp como uma ferramenta de trabalho, criar catálogo, divulgar produtos e a criar fotografias muito mais atrativas dos meus produtos”, conta. “Além disso, aprendi sobre marketing de relacionamento, sobre como me aproximar e atender as pessoas que entram em contato comigo pelo meu trabalho”, complementa a empreendedora, que hoje vive em Contagem, Minas Gerais.


Fotografias produzidas por Norbelys durante as oficinas

As aulas ofertadas fazem parte do catálogo de cursos do Sebrae Minas e foram adaptadas para atender melhor o público-alvo do projeto. Todas as oficinas contaram com tradução simultânea para o espanhol para facilitar o entendimento das participantes hispanófonas, maioria das matriculadas.

“O evento foi uma grande oportunidade para mulheres migrantes e refugiadas desenvolverem ainda mais o seu comportamento empreendedor. Elas já são protagonistas de suas histórias e agora serão também de seus negócios. O Sebrae Minas, a OIM e o Cio da Terra cumpriram a missão de preparar e encorajar essas empreendedoras a transformarem seus sonhos em realidade”, destaca a analista do Sebrae Minas Michelle Chalub Cossenzo Moreira.

Outro fator considerado na elaboração da Jornada Empreendedora 2021 foi a pandemia de COVID-19 e seus impactos na economia. Com as medidas sanitárias vigentes para evitar a propagação do coronavírus, muitos negócios tiveram de se adaptar e focar em estratégias de atendimento não-presencial. Por isso, as oficinas também contaram com capacitações sobre a utilização de ferramentas como o WhatsApp Bussines, Instagram e Facebook para empresas.

Para a assistente de projetos da OIM em Minas Gerais, Juliana Rocha, o evento impactou positivamente a vida das migrantes. “A OIM acredita ­­­que fomentar o empreendedorismo e a geração de renda é um caminho exitoso para a integração econômica de migrantes no Brasil. Ver que essas mulheres estão empregando os conhecimentos ensinados nas oficinas no seu dia a dia, profissionalizando seus serviços, aumentando sua renda e a qualidade de vida de suas famílias é gratificante”, ressalta.

Essas atividades foram realizadas com o apoio financeiro do Escritório de População, Refugiados e Migração (PRM) do Departamento de Estado dos Estados Unidos.