Interiorização de venezuelanos ultrapassa 4,7 mil pessoas beneficiadas

Um total de 226 venezuelanos abrigados em Boa Vista (RR) serão interiorizados para oito cidades brasileiras nesta sexta-feira (15) e sábado (16). Eles serão acolhidos por 11 abrigos dirigidos por seis instituições da sociedade civil localizados em Porto Alegre (RS), Caxias do Sul (RS), Goioerê (PR), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Guarulhos (SP) e Belo Horizonte (MG). Este será o 40º voo da Força Aérea Brasileira (FAB) na 24ª etapa do processo de interiorização.

A interiorização desta semana marca uma nova etapa da Operação Acolhida, que presta ajuda humanitária aos solicitantes de refúgio e imigrantes venezuelanos que chegam ao Brasil em busca de proteção e assistência. Novas cidades, como Belo Horizonte (MG) e Caxias do Sul (RS), aderiram à iniciativa por meio de novos parceiros da sociedade civil.

Às 8h, o voo partirá de Boa Vista, capital de Roraima, com destino a Curitiba. Na cidade, serão recebidas 90 pessoas e um grupo de outras 19 seguirá para o município de Goioerê, no interior paranaense. Da capital do Paraná, outra aeronave levará 23 pessoas até o município gaúcho de Canoas. De lá, 16 acolhidos seguirão de ônibus para Porto Alegre e mais sete para Caxias do Sul.

A próxima parada do voo original será o Rio de Janeiro. Na capital fluminense, ficarão mais 32 pessoas, 21 divididas em dois centros de acolhimento e mais 11 em residências de parentes. Os demais interiorizados seguirão, em voos distintos, para os aeroportos de Guarulhos e Belo Horizonte. O estado de São Paulo será responsável pelo acolhimento de 24 venezuelanos, 18 na capital e seis em Guarulhos.

Na capital mineira, última etapa da jornada, serão recepcionadas 26 pessoas, divididas em dois centros de acolhimento distintos. Um grupo de 11 interiorizados seguirá viagem até a cidade de Montes Claros, no norte de Minas Gerais.

No sábado (16), outro grupo de 12 pessoas sairá de Boa Vista (RR) rumo a Natal (RN). O destino final é a cidade de Caicó. Nessas duas etapas de interiorização, o perfil é composto, majoritariamente, por famílias.

Operação Acolhida
Ao todo, 4.564 pessoas já foram transferidas de Roraima para 17 estados brasileiros, por meio da estratégia de interiorização, um dos pilares da Operação Acolhida – lançada em fevereiro do ano passado pelo governo federal para coordenar a ajuda humanitária aos solicitantes de refúgio e migrantes oriundos da Venezuela. A Operação Acolhida reúne as Forças Armadas, ministérios da Esplanada, agências do Sistema ONU no Brasil e entidades da sociedade civil organizada.

A estratégia de interiorização é apoiada por diversos órgãos, como os ministérios de Cidadania, Defesa e Saúde, Casa Civil da Presidência da República, estados, prefeituras e organizações não governamentais. Do Sistema ONU, estão diretamente envolvidas a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a Organização Internacional para as Migrações (OIM), o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Essas organizações identificam locais de acolhida no país todo e realizam melhorias estruturais nos abrigos, além de prestar orientações sobre as cidades de acolhida.

Em Boa Vista, as pessoas que aderem voluntariamente à estratégia de interiorização são registradas, documentadas e imunizadas, além receber informações sobre as cidades de destino, condições para serem abrigadas e materiais informativos sobre o acesso a serviços e assistência à saúde. As pessoas interiorizadas são acompanhadas durante o voo até as cidades de destino.

O intuito da estratégia de interiorização é reduzir o impacto da chegada de solicitantes de refúgio e migrantes venezuelanos em Roraima, permitindo que tenham novas oportunidades de integração e ingresso no mercado de trabalho, recomeçando suas vidas e contribuindo para o crescimento das novas comunidades de acolhida.