Exposição fotográfica apresenta contexto diverso da migração no Brasil

PANAS reune imagens que ilustram realidade e intimidade de refugiados e migrantes em diversas partes do país

Brasília - Acolher com dignidade, proteger com direitos e políticas públicas e promover com valorização e respeito, foram algumas das mensagens que marcaram a projeção da PANAS – Exposição Urbana Sobre Migrantes no Brasil na noite dessa sexta-feira (18) em dez cidades brasileiras simultaneamente.

Foram 46 fotografias feitas por fotógrafos profissionais e amadores para celebrar o Dia Internacional dos Migrantes. A mostra foi organizada pela Cáritas Brasileiras em parceria com a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

(c) Projetemos | Laura Campestrini 

O objetivo da exposição foi dar um olhar de sensibilidade à população brasileira sobre a questão migratória no país, por meio de projeções em pontos estratégicos das cidades de Belém, Belo Horizonte, Boa Vista, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Manaus, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.

Em Boa Vista, o evento ocorreu no Parque Anauá, zona Norte da capital. Entre os que acompanharam ao vivo a projeção, estava a fotógrafa Nara Nasco, uma das selecionadas para a mostra coletiva. A fotografia de uma criança venezuelana da etnia indígena Eñepa foi uma das projetadas no deck do parque.

“Em novembro eu estava na Feira do Produtor e vi a menina vendendo orquídeas sozinha. E isso me mostrou várias questões, tanto socioeconômica, como da cultura deles, de iniciar o trabalho muito cedo. Por eu ser migrante, vir do Maranhão para Roraima quando criança, também vivo nesse contexto, então foi muito gratificante esse reconhecimento”, relatou.

(c) OIM | Bruno Mancinelle

Para o público, a projeção mostrou a realidade de milhares de venezuelanos que deixaram o país de origem para viver em território brasileiro. “As fotos são muito bonitas. Dá a oportunidade de muitos olharem a migração de forma diferente, pois a fotografia conta histórias e memórias”, disse Jaqueline Avelino, que acompanhou no local a projeção.

Em Manaus, a projeção foi realizada na rodoviária da cidade, local de pernoite de refugiados e migrantes venezuelanos. A ação contou com o apoio da Operação Acolhida, resposta humanitária do Governo Federal, e da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), que trouxe a participação do grupo musical Fusão Latina, composto por refugiados e migrantes, para abrir o evento.

“Em parceria com as agências da ONU, nós estamos aqui para oferecer acolhimento, articular políticas públicas, promover e integrar esses indivíduos na sociedade. Não teria como esse fenômeno migratório ficar sem esse olhar de sensibilidade”, comenta a Secretária Executiva de Estado de Direitos Humanos, France Mendes. “O dia de hoje é um momento muito importante, especialmente pelo momento de pandemia. Nosso povo precisa ter sabedoria e irmandade para abraçar essa causa”, complementa.

(c) OIM | Daniel Boechat

O casal de venezuelanos Lilian e José estava entre o público que assistia à montagem de fotos passar no muro do viaduto. Junto com os dois filhos, ficaram agradecidos com a lembrança e a homenagem. “É uma forma de nos apoiar, sentimos que alguém se preocupa com a situação da Venezuela, está disposto a nos ajudar e nos incluir na sociedade brasileira", afirma Lilian.

"Agradeço muito a ajuda humanitária, a cada dia, com todos os venezuelanos que chegam aqui. É importante que tenhamos esse dia de comemoração. Me sinto muito agradecido pela porta aberta a mim e aos meus filhos", complementa José.

(c) OIM | Daniel Boechat

A rodoviária de Brasília também foi palco para a projeção na cidade. Na hora do rush, quem voltava para a casa da zona central pôde ver as imagens projetadas no viaduto ao lado do Teatro Nacional.

Rafael Zart, um dos selecionados para a exposição e residente na capital federal, foi até o local conferir suas imagens estampadas em larga escala. "Esse tipo de ação cultural ajuda a promover mudança social, pois toca na questão da representatividade. Possibilita que essas pessoas sejam vistas”, comenta.

(c) OIM | Ana Cláudia Mascarenhas

Nas demais cidades, os prédios iluminados também chamaram atenção de longe, como no caso do Rio de Janeiro, que recebeu uma projeção surpresa em Santa Teresa, e em São Paulo que teve a Rua da Consolação incluída na ação.

(c) Projetemos | VJ Mozart

(c) Projetemos

EXPOSIÇÃO VIRTUAL

As imagens da PANAS estão disponíveis na galeria virtual da OIM Brasil, onde os visitantes poderão rever todas as fotografias com legendas e conhecer os fotógrafos por trás das lentes.

Visite a galeria virtual PANAS – Exposição sobre Migração no Brasil

A iniciativa é parte de um segundo ciclo de projeções iniciado em setembro pela Cáritas Brasileira, no âmbito do Projeto Europana, que tem apoio da Cáritas Suíça e da União Europeia.

Nesta etapa, a OIM se junta à Cáritas com o apoio financeiro do Escritório de População, Refugiados e Migração (PRM) do Departamento de Estado dos Estados Unidos da América.