Agências da ONU promovem feira de empreendedorismo em Boa Vista

Realizada em um shopping center da capital de Roraima, a Feira Integrarte reuniu mais de 30 pessoas brasileiras, refugiadas e migrantes, que puderam mostrar e vender ao público local suas criações no feriado de finados celebrado em 2 de novembro. A iniciativa da Agência da ONU para Refugiados (Acnur), Organização Internacional para as Migrações (OIM) e ONU Mulheres, entre outros parceiros, teve o intuito de promover o trabalho e a integração socioeconômica dos participantes, em especial das mulheres.

Roupas, produtos de beleza, itens alimentícios, brinquedos e diversos artesanatos estavam entre os itens expostos. Para muitos, essa foi a primeira possibilidade de entrar em contato direto com consumidores brasileiros e participar de um evento onde foi possível comercializar seus produtos e trocar informações entre empreendedores.

 “Sou artista plástica e pinto em minha casa. O evento é uma oportunidade para as pessoas se aproximarem e conhecerem o meu trabalho. Eu não conseguiria chegar a este público se não estivesse participando da feira”, explica a venezuelana que está há dois anos no Brasil, Kerim Valentina. 

Impulsionar a atividade econômica e mantê-la de forma duradoura também é um objetivo da iniciativa. “Os empreendedores puderam apresentar seus produtos a potenciais compradores e começar a criar uma base de clientes para que possam dar seguimento as suas atividades de maneira independente”, explica a assistente de projetos da OIM para integração socioeconômica, Tainá Aguiar.

Além da oportunidade de geração de renda, o evento também foi uma ferramenta de integração entre as pessoas refugiadas e migrantes na comunidade local. “A Feira, desde o começo de sua organização, teve o cuidado de incluir participantes de nacionalidade venezuelana e brasileira. Além disso, o público da atividade foi majoritariamente composto pela população local, frequentadora do shopping, gerando momentos de troca, de conversas e de aproximação”, ressalta a assistente sênior de soluções duradouras do Acnur, Marília Cintra Correa.

Outro ponto de destaque é o fato de a feira gerar um impacto positivo para o empoderamento econômico das migrantes e solicitantes de refúgio. "A maioria das expositoras eram mulheres. Desde o começo o clima entre elas foi de apoio mútuo e não de competição. Acompanhamos o processo de fabricação dos produtos e foi emocionante ver como, do início do planejamento até o momento da feira, o clima sempre foi de solidariedade e desejo de crescer juntas", destaca a gerente de projeto da ONU Mulheres, Flávia Muniz.

A Feira Integrarte faz parte de uma série de ações realizadas pelas agências do sistema ONU, governo e organizações da sociedade civil organizada que formam o Grupo de Trabalho da Operação Acolhida com o foco em promover iniciativas voltados para o trabalho e integração socioeconômica em Roraima. Além do evento, também foi realizado um workshop que abordou noções básicas de empreendedorismo e apresentou às migrantes e solicitantes de refúgio características do mercado brasileiro.