ACNUR e OIM realizam capacitação para formação de facilitadores em temas de gestão e coordenação humanitária de abrigamento

Boa Vista, 15 de dezembro de 2020 – Com objetivo de enriquecer e fortalecer as ações para a assistência emergencial às populações em deslocamento e melhorar a qualidade de vida das pessoas assistidas, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM) realizam um ciclo de treinamentos para os profissionais que atuam na resposta humanitária referente ao fluxo de refugiados e migrantes da Venezuela para o Brasil.

Esse é o primeiro treinamento para formação de facilitadores em temas de Gestão e Coordenação de Abrigamento (CCCM, na sua sigla em inglês) realizado no país. O objetivo é qualificar profissionais que possam replicar os conhecimentos técnicos adquiridos e contribuir para melhorar a gestão e coordenação dos abrigos e outros espaços coletivos, no âmbito da Operação Acolhida, resposta humanitária do Governo Federal.

A estratégia de aprendizado visa à apropriação de técnicas e métodos de treinamento baseados em material global de CCCM. Os profissionais capacitados devem adquirir novas ferramentas e técnicas que possibilitem projetar um evento de treinamento, a gestão de grupo, de tempo e de espaço, assim como a capacidade de comunicação interpessoal, por exemplo.

A formação é interativa, e os participantes já vão colocando em prática os conhecimentos recebidos realizando apresentações divididas nos módulos de CCCM, tais como: gestão de abrigo, funções e responsabilidades, mitigação de riscos de proteção, cuidados e manutenção, coordenação de serviços, gestão de informação , participação da comunidade e a violência de gênero no contexto local.

Foram realizados três treinamentos, sendo dois em Boa Vista e um em Manaus. Anteriormente, foram realizados cursos básicos que permitiram a capacitação de mais de 80 pessoas, e os participantes em destaque foram selecionados para essa capacitação mais completa e aprofundada.

Em Boa Vista, o primeiro dos três treinamentos já capacitou 17 profissionais que receberam materiais em língua portuguesa, como apostilas e vídeos a serem utilizados nos treinamentos que irão liderar. A expectativa é ter 50 facilitadores brasileiros e ampliar os profissionais capacitados na região.


Os profissionais que concluíram o curso estarão capacitados de reproduzir o treinamento para outras equipes. ©OIM/Bruno Mancinelle

“Com essa iniciativa, esperamos capacitar uma rede de atores que apoiam a Operação Acolhida e que trabalham nos abrigos e espaços coletivos, fortalecendo assim a resposta frente ao fluxo migratório venezuelano no Brasil”, ressalta a Coordenadora da resposta humanitária da OIM, Lia Poggio.

Os primeiros módulos focam nos princípios da aprendizagem, e em como conduzir discussões de grupo, assim como nas qualidades e qualificações necessárias para facilitar o treinamento. O curso compreende ainda conceitos de responsabilidade, manutenção dos abrigos e participação da comunidade, além de ensinar os princípios de neutralidade, humanidade e de proteção.

“Essa atividade visa qualificar os profissionais, mas também fortalecer a colaboração das entidades que trabalham nos abrigos e nos demais espaços coletivos. Outro impacto vai ser na coordenação do Grupo de Trabalho de Gestão e Coordenação de Abrigos da Operação Acolhida, coliderado por ACNUR e OIM, que tem como função orientar as ações de gestão e coordenação e aprimorar os fluxos de comunicação entre os vários atores”, relata a oficial de CCCM do ACNUR e uma das facilitadoras do treinamento, Jacqueline Julca.


Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM) realizaram três treinamentos, sendo dois em Boa Vista e um em Manaus. ©OIM/Bruno Mancinelle

Para Alex Rigol, da OIM México, que veio ao Brasil especialmente para ministrar a capacitação em conjunto com o ACNUR, o treinamento é um marco no Brasil. “Todos os materiais e ferramentas relacionadas à gestão de abrigo vêm se adaptando aqui. É um processo profundo de compartilhamento de conhecimentos com as pessoas que estão envolvidas diariamente no trabalho nesses espaços. Trata-se de uma oportunidade importante para disseminar em maior escala os conceitos relacionados com CCCM”, afirma.

O material desenvolvido para a capacitação permitirá ainda melhorar as práticas com as comunidades e a coordenação para uma resposta efetiva, além de colocar de maneira transversal as perspectivas de gênero no abrigamento. Os novos facilitadores trabalharão em consonância com as autoridades locais e a Operação Acolhida.

O ciclo de treinamentos é realizado no âmbito do Setor de Abrigo, Itens Não-Alimentares (NFI) e Distribuição Alimentar da Plataforma R4V - Resposta humanitária a Venezuelanas e Venezuelanos - co-liderada pela OIM e ACNUR e composta no Brasil por mais de 40 parceiros entre agências da ONU e organizações da sociedade civil apoiando a Operação Acolhida do Governo Federal.