Ações de qualificação profissional no Rio de Janeiro incentivam entrada no mercado de trabalho de venezuelanos

Rio de Janeiro - Venezuelanos e migrantes de países vizinhos ao Brasil que vivem em situação de vulnerabilidade no Rio de Janeiro ganharam novas oportunidades de impulsionar sua geração de renda. Uma parceria entre a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e o Programa de Atendimento a Refugiados e Solicitantes de Refúgio (PARES) da Cáritas do Rio de Janeiro tem disponibilizado cursos variados de capacitação profissional, de forma a ampliar o acesso ao mercado de trabalho e as chances de integração econômica dessas pessoas.

As ações de capacitação estão sendo desenvolvidas no âmbito do projeto Oportunidades para Recomeçar, realizado em parceria entre as duas organizações. Também são oferecidas oficinas de desenvolvimento humano virtuais, com o objetivo de preparar os beneficiários do projeto para a jornada de busca e conquista de um emprego.

A partir de uma metodologia de coaching, venezuelanos e migrantes de países vizinhos ao Brasil têm participado de encontros coletivos, em que recebem orientações sobre o modelo do currículo brasileiro e fazem exercícios de autodiagnóstico e simulações de entrevistas para compreenderem quais são as qualidades, habilidades e competências que podem valorizá-los como profissionais no mercado local. Os participantes saem da oficina com uma rede de apoio, um plano de ação e um auxílio financeiro para buscar oportunidades.

Além de encorajar a procura autônoma por trabalho, o projeto Oportunidades para Recomeçar também prevê encaminhamento de refugiados e migrante que integram o público-alvo a vagas de trabalho articuladas pela equipe da Cáritas RJ junto a empresas sensíveis à integração econômica digna e qualificada dessas pessoas.

"A Cáritas do Rio de Janeiro está bastante animada com essa nova parceria com a OIM", celebra a coordenadora Aline Thuller. "Nosso trabalho é tentar entender quais são os desejos, as habilidades e as experiências de trabalho dos participantes e, ao mesmo tempo, dialogar com empresas e instituições parceiras para incentivar sua contratação. Esse projeto certamente será importante para os migrantes e refugiados atendidos, mas também muito valioso para as empresas que receberem essas pessoas."

Uma das iniciativas de capacitação já realizadas foi o curso "Higienização na Prática", organizado no início de julho, em parceria com a Kles, empresa de terceirização e deslocalização industrial. Foi oferecido gratuitamente a uma turma de dez venezuelanos e migrantes de países vizinhos ao Brasil um treinamento de oito horas em técnicas de limpeza. Além das aulas teóricas e práticas, os participantes receberam um certificado de conclusão do curso e foram orientados a preencher um currículo para o banco de vagas da empresa, que fará contato quando surgirem oportunidades.

Os alunos saíram animados do dia de atividade e aprendizado: "Recebi uma mensagem da Cáritas RJ oferecendo o curso e decidi me candidatar. Foi uma boa experiência, queria que tivesse durado dois, três dias. A equipe foi muito amável também", conta a venezuelana Alida, no Brasil há um ano e meio.

(c) Luciana Queiroz_PARES Cáritas RJ

A experiência foi tão bem-sucedida, que haverá uma segunda turma no dia 2 de agosto, com inscrições que serão anunciadas em breve. "O curso ultrapassou todas as minhas expectativas, foi muito bom! Trabalhei com manutenção em uma escola na Venezuela e conhecia algumas técnicas, mas aqui aprendi muito mais, com métodos mais fáceis e práticos", diz a venezuelana Neyda, no Brasil há apenas nove meses.

A Cáritas RJ também iniciou uma parceria com a Associação de Telecentro Informações e Negócios (ATN) e a Microsoft para oferecer treinamentos gratuitos em tecnologia da informação, além de se unir ao SENAC e ao Instituto Aliança para oferecer um curso de costura para 34 mulheres venezuelanas e migrantes de países vizinhos ao Brasil atendidas pela organização. A capacitação em costura começou no início do mês e terá sua conclusão em dezembro deste ano, com possibilidades de contratação. Para agosto, estão previstos ainda outros cursos de qualificação com o SENAI e o SENAC.

"As pessoas que vieram da Venezuela ou de outros países vizinhos podem contar com a Cáritas RJ para melhorar sua geração de renda no Rio de Janeiro, porque o projeto prevê todo o ciclo de integração econômica, desde a qualificação até o encaminhamento final para a vaga de trabalho", diz Diogo Felix, coordenador de projetos da OIM no Rio de Janeiro. "Por outro lado, as empresas que buscam colaboradores engajados, motivados e qualificados, também podem confiar na instituição em busca de talentos migrantes."

As empresas interessadas em contratar esses profissionais podem entrar em contato com a Cáritas RJ pelo número (21) 96691 3340. As pessoas nacionais da Venezuela ou de outros países vizinhos ao Brasil, que vivem no estado do Rio de Janeiro e desejem participar do projeto e ter acesso às oportunidades de qualificação e empregabilidade, podem enviar uma mensagem ao número (21) 99832 0469.

As iniciativas de integração econômica no Rio de Janeiro são realizadas no marco do projeto Oportunidades – Integração no Brasil, implementado pela OIM com o apoio financeiro da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID).